Peixes e seus defeitos

ilusão

Dando continuidade à série de artigos que trata dos signos e seus defeitos, passo a abordar o último signo do Zodíaco, Peixes, .

Todos os signos têm em si defeitos e qualidades e depende do livre arbítrio do indivíduo qual dessas formas de manifestação vai predominar e em que intensidade. O mais comum é que ao longo da vida, conforme as circunstâncias forem dando ensejo, o indivíduo se depare com versões suas até então não reveladas.

Dito isso, passo a tratar de um dos principais defeitos de Peixes: o romantismo.

Peixes tende a ter uma visão bastante romântica da vida e das pessoas, como se colocasse lentes cor de rosa mesmo.

Se, por um lado, isso lhe dá uma alma mais pura (salvo nos casos muito baixos, em que o lado negativo do signo se manifesta com força máxima na mentira e nos crimes), por outro, lhe reveste de uma ingenuidade que o torna presa fácil para os interesseiros de plantão.

Esse signo tende a ver bondade em tudo e todos e a desconfiança não lhe toma o pensamento, de modo que procura sempre compreender e aceitar os outros. Isso, claro, é muito nobre!

O problema é que há pessoas que fazem uma clara opção pelo mal e usam essa bondade pisciana para conseguirem o que querem, prejudicando o Peixes. É comum piscianos emprestarem dinheiro e nunca receberem de volta, abrirem mão de suas vidas para cuidar dos outros, etc, etc, etc.

Não estou dizendo para não ajudarem o próximo, mas apenas para terem mais os pés no chão e avaliarem quem realmente precisa de ajuda e qual o preço que você, Peixes, pagará por essa ajuda. Antes de ajudar o próximo, você pecisa cuidar de si, pois, caso abra mão totalmente de sua personalidade, vontades e vida, terminará doente, pois você tende a somatizar.

Assim, avalie sempre em que medida você pode exercer a caridade que mora em seu coração, sem ser enganado nem se doar tanto, a ponto de deixar de existir como indivíduo e, por fim, adoecer.

Você tem o mais puro dos amores, não o desperdice com qualquer um!

Por Mia Vilela

Peixes: quando a realidade se reveste dos sonhos

 

 

peixes

Hoje falarei sobre o 12º e último signo do Zodíaco: Peixes.

Peixes é um signo do elemento água e, portanto, ligado às emoções. Sua qualidade é mutável, o que confere aos seus nativos certo grau de adaptabilidade e capacidade de comunicação.

Simbolicamente, água mutável são os rios e oceanos, que contornam os obstáculos, chegando inevitavelmente ao seu destino e cuja força é capaz de destruir até mesmo rochas. Tudo isso simboliza os instrumentos internos que os piscianos têm para lidarem com o mundo, sendo, na minha opinião, os nativos com maior capacidade de força interior (a não ser que o resto do mapa indique o contrário).

O atual regente de Peixes é Netuno, o Deus dos mares, e seu antigo regente ou co-regente é Júpiter (Zeus).

Para descrever os piscianos gosto muito de uma música de Oswaldo Montenegro. A música se chama “Aos filhos de peixe” e integra o musical “A dança dos signos”. Vejam abaixo parte relevante da citada música:

 “É peixe quando pula e descortina a clara possibilidade de mudar de opinião. É peixe quando, sem ligar a seta, muda o rumo, inverte a coisa, embola o pensamento, então. É peixe quando salta o precipício da responsabilidade e tem uma queda para a ilusão. É peixe quando anda contra o vento, desafia o sofrimento e carrega o mundo com a mão.”

Como se vê, a música retrata a mutabilidade dos piscianos, sua característica sonhadora e sua tendência a ajudar o próximo, sobre as quais passarei a discorrer a seguir.

Conforme ilustração acima, o símbolo de Peixes são dois peixes, cada um virado para o lado oposto ao outro. Tal como Gêmeos, temos aqui mais um signo duplo no Zodíaco. Todavia, a duplicidade, neste caso, não se reveste da possibilidade de duas caras, mas da certeza de que o pisciano mudará de opinião, emprego, profissão, rota, etc, sem aviso prévio e nem ele mesmo saberá lhe dizer o porquê. Simplesmente sentiu que deveria mudar e mudou.

Peixes não teme mudanças e, comumente, possui apetite para o risco, além de uma intuição bastante inteligente, que permite que esses nativos saibam, sem explicação lógica, o rumo das coisas e isso inclui a economia. Eu mesma conheço 3 gênios do mercado financeiro nascidos sob esse signo. Sua intuição e apetite para o risco lhes renderam muitos milhões e os 3 são bastante conhecidos. Também conheço um que diz que não é nenhum expert em direito, mas é sócio há anos de escritório (já mudou algumas vezes de sociedade) e possui um excelente faro para negócios, o que lhe faz gerar mais casos do que muitos gênios jurídicos.

A duplicidade desse signo também possui pode se manifestar de modo não muito agradável, o que, por óbvio, dependerá do livre arbítrio, caráter e evolução espiritual de cada pisciano: essa tendência é a falsidade. Se o pisciano não desenvolver as qualidades positivas de sua mutabilidade e intuição, poderá ser um hábil mentiroso, até mesmo um ilusionista, capaz de negócios escusos quase com perfeição.

Tal “habilidade” também decorre do mau uso de sua forte inclinação a mudar a realidade. Piscianos são sonhadores sensíveis e creem verdadeiramente em seus sonhos. Negativamente, podem não conseguir lidar com a realidade e, como forma de fuga ou vitimismo, tornam-se mentirosos, alcoólatras, usuários de droga e de diversos meios destrutivos de fuga da realidade.

Vejam que tendência descrita acima pode se manifestar em diversas intensidades e é aconselhável estimular os pequenos piscianos a lidarem com a realidade e colorirem essa com sua criatividade e caridade, pois em alguma medida, muitos acabam bêbados em festas sob a alegação de que a bebida garante diversão, usam drogas mais fracas para relaxar, e por aí vai. Todavia, todas essas formas artificiais de fuga são desperdício de criatividade e sensibilidade para esses nativos.

Positivamente, a característica sonhadora de Peixes e a sua tendência a ver o mundo com lentes cor de rosa gera artistas excepcionais, atores brilhantes, pessoas que se dedicam à caridade, bem como dançarinos ímpares.

Falando em dança, Peixes rege os pés e o grande bailarino Vaslav Nijinski é um bom exemplo da forte ligação de Peixes com a dança (além de pisciano, Nijinski tinha a Lua em Peixes, reforçando a sensibilidade em sua dança).

Tenho um grande amigo que desde pequeno dizia que, com ou sem dinheiro, seria bailarino. Hoje ele integra há anos uma conhecida companhia de dança na Europa e vive muito feliz, fazendo turnês mundo afora, desfrutando, inclusive, do glamour que os piscianos também adoram.

Sim, Peixes gosta de glamour, o que também ajuda a explicar a forte presença desse signo, tão popularmente ligado apenas à caridade, no mercado financeiro e nas artes.

Mas vou retornar à tendência de Peixes de recriar a realidade. De fato, a terceira manifestação desse traço de personalidade se dá no campo da medicina e da caridade. Acredito que, simbolicamente falando, Aquário, com toda a sua ideologia igualitária, teve a ideia do Médico sem Fronteiras, mas é o pisciano que vai a campo salvar os menos favorecidos.  Quando Peixes adquire uma forte estrutura emocional interna, ninguém é capaz de maior caridade, nem Virgem. Isso porque Peixes consegue, observada a ressalva acima, lidar com a miséria e vulnerabilidade humanas sem impessoalidade, ao contrário, com enorme compaixão e amor, tornando tudo mais humano, mais acolhedor. Virgem e Escorpião têm mais sangue frio e acabam sendo mais impessoais no trato com pessoas em situações que a maioria não suportaria sequer olhar sem cair em lágrimas.

Mas o leitor atento perguntaria: ora, mas essa capacidade de auxílio ao próximo, mesmo em situações de desgraça extrema não pode advir somente da necessidade de colorir a realidade. De fato, essa necessidade dá o impulso, mas a força para o processo vem da capacidade dos pisciano de compreenderem a vida sob uma perspectiva espiritual e de contornarem obstáculos tal como um rio.

Se o pisciano souber trabalhar a sua alma, será capaz de experimentar a verdadeira fé, não em uma figura específica, mas na vida. Peixes sabe que há mais coisas entre o céu e a terra do que ousa imaginar a nossa vã filosofia e simplesmente é capaz de aceitar isso, sem a necessidade de aprovar. Daí a sua capacidade de lidar com a desgraça e vulnerabilidade humanas sem julgamento e com força interior. Ao não julgar, o pisciano aceita e se torna capaz não apenas de lidar com o mundo real, mas de modifica-lo, transformando a dor em compaixão, o ódio em amor e regando com suas águas campos deixados áridos pelos homens ainda no estágio destrutivo.

Peixes, no Zodíaco, representa a 12ª casa, isto é, a casa do carma, de tudo o que não nos é permitido conhecer totalmente, a casa da espiritualidade. Lembrem-se que no texto sobre Sagitário falei que esse signo era ligado à religião, sendo a espiritualidade atingida em Peixes. De fato, Sagitário julga, Peixes não. Sagitário segrega, Peixes agrega. E isso diz muito sobre a diferença entre religião e espiritualidade. No entanto, isso não significa que não haja sagitarianos mais voltados à espiritualidade do que à religião, estou falando aqui na simbologia dos signos e de suas características gerais, cada mapa de cada pessoa deve ser analisado cuidadosamente para se verificar quais outros signos a influenciam fortemente e como isso se dá.

No entanto, não pensem que todo pisciano é místico ou crê em alguma lei maior. Muitos, aliás, são ateus. Mas isso não os impede de serem espiritualizados na prática, de entenderem os ciclos da vida e aceitarem suas mazelas, desde que um trabalho interno seja feito. Essa compreensão nasceu com eles e independe de uma crença, basta ser desenvolvida, seja intuitivamente, seja pela lógica da filosofia.

Conheço um que se diz ateu, mas deixou de fechar um grande negócio que assinaria, pois naquele dia sua psicóloga enfartou na sua frente e ele entendeu aquilo como um sinal. Outro fechou o maior negócio para o banco em que trabalhava graças aos conselhos de uma taróloga. Piscianos e suas razões. Ambos são muito bem sucedidos, portanto, nem pensem em criticar os métodos desses piscianos!

O signo oposto a Peixes é Virgem, criterioso, mental, lógico. A fim de que o Pisciano não se perca em seu mar de sonhos nem se torne um romântico que vive no mundo da fantasia e não concretiza seus sonhos e ideais, deve aprender com Virgem a categorizar seus anseios e metas, a ter critério para analisar as situações concretas da vida. Caso contrário, o pisciano pode levar 2 “tapas” da mesma pessoa e continuar acreditando que isso vai mudar um dia, afundando-se no sofrimento da percepção de que há maldade no mundo combinado à ilusão de a maldade poderá ser extinta de uma hora para outra.

Peixes precisa do critério e discernimento de Virgem para reconhecer a maldade e se afastar dela, mantendo a sua capacidade de auxílio àqueles que não irão “mordê-lo”. Dito de outro modo, Peixes precisa de discernimento para cuidar do próximo sem prejudicar a si mesmo; para sonhar e concretizar.

Conheço uma que vivia emprestando dinheiro a parentes e vivia chorando pela falta de consideração deles, que nunca a pagaram de volta. Ela dizia que deveria ser mais como o Escorpião, que percebe a má-fé e se afasta, enquanto o Peixe paga para ver…

Ambos, Peixes e Escorpião, precisam rever seu conceito de perdão, pois acreditam que perdoar significa dar a cara à tapa 2 ou mais vezes. Mas, enquanto Peixes perdoa segundo esse conceito, Escorpião guarda rancor. Porém, ambos devem perceber que o perdão é algo que fazemos por nós mesmos, significa não guardar rancor e usar a razão, o discernimento de Virgem para perceber se a pessoa se regenerou e permite aproximação segura ou não. Dito de outra forma, precisam saber que o objeto do perdão é a pessoa e, não, o seu ato, de modo que uma reincidência não deve ser tolerada, nem gerar raiva. Para isso serve o afastamento.

Quando Peixes compreender isso, amenizará boa parte da causa de seu sofrimento e deixará de sentir culpa ao decidir se afastar de alguém ou lhe dizer “não”, pois compreenderá que isso não é julgar nem discriminar, mas saber viver, protegendo a si mesmo contra abusos e crueldades.

Dada a sua tendência a ajudar o próximo, se há alguém doente na família, normalmente é o pisciano quem se encarrega de cuidar da pessoa até a sua morte. Capricórnio é arrimo financeiro de família, quem muda de casa, se sacrifica e doa tempo para garantir que o enfermo não fique só e tenha uma partida digna é o pisciano.

Tenho uma amiga que, mesmo depois do pai ter se afastado da família, organizou tudo, mudou a sua rotina, sacrificou até mesmo tempo de seu trabalho para garantir que seu pai doente fosse bem cuidado. Minha mãe era pisciana e na minha infância eu mudei de residência 3 vezes para que ela cuidasse de parentes com doenças longas (câncer, esclerose e Alzheimer), tudo isso para que morássemos na mesma casa ou no mesmo prédio do parente que precisava de cuidados diários. Todos eram visitados diariamente e recebiam muito amor, beijos e abraços, além de Reik, e nenhum faleceu sozinho, graças à pisciana que abdicou até mesmo do trabalho para garantir tudo isso.

Meu pai tem ascendente em Peixes e quando nosso antigo gato estava doente, já nas últimas, e não queria dormir no quarto, ele dormia no sofá da sala para o bichano não ficar sozinho.

Tenho uma grande amiga virginiana com ascendente em peixes. Quando minha mãe estava doente e era internada todo mês, essa amiga abdicou várias vezes de seu lazer para ficar comigo no hospital e em um aniversário meu, em que eu fui parar no hospital, ela passou o dia lá comigo.

Mesmo que não faça trabalho voluntário, o pisciano sempre ajuda com amor quem precisa.

Outra amiga de ascendente em Peixes é palhaça em hospital infantil e já viajou o mundo fazendo trabalho social voluntário.

Profissionalmente, Peixes está ligado à psicologia, medicina, caridade, artes cênicas, dança, mágica, ilusionismo, mercado financeiro (notadamente mesa de negociações), artes do corpo, oceanografia, mergulho.

Peixes vem nos ensinar a doação, a aceitação, a caridade, a capacidade de sonhar e que toda criatividade e arte vem da alma, da intuição, de uma mediunidade que transcende a lógica e o palpável. Por outra lado, vem aprender a olhar as pessoas e situações com discernimento e objetividade, a fim de não viver uma vida de sofrimento, sacrifício e infelicidade. Peixes precisa aprender que ajudar não significa abdicar de si mesmo, a fim de que possa sair do nível da vítima e alcançar o do artista ou curandeiro. Para criar e curar, o pisciano precisa estar forte, precisa ter cuidado de si mesmo.

Por fim, como sempre, ressalto que o mapa astral como um todo deve ser analisado, a fim de que se possa fazer um diagnóstico preciso do sujeito, pois as tonalidades de cada signo são moldadas à luz do resto do mapa.