A simbologia da morte na Astrologia

fenix

 

Quando eu tinha 2 anos, minha avó materna faleceu; até aí, nada de anormal. Então eu depositei a relação neta-avó na minha tia-avó materna e era incrível! Mas aí, menos de 2 anos depois, ela descobriu um câncer e, com era viúva e sem filhos, pediu que minha mãe cuidasse dela. Foi montado um hospital em seu apartamento, pois ela queria partir em casa e, por diversas noites, minha mãe me colocava no carro a saíamos da Granja Viana rumo a São Paulo para cuidar dela. Foram anos difíceis e sem uma rotina de criança. Então, um dia, eu me deitei sobre minha tia-avó e a abracei bem apertado; quando viu aquilo, minha mãe perguntou porque eu estava ali, já que, desde que ela ficou “internada” em seu quarto, eu não havia mais entrado ali. Eu, então, respondi que estava me despedindo, já que ela iria partir no dia seguinte, e assim aconteceu.

Na sequência, meu avô materno ficou com esclerose e nós nos mudamos para a casa dele, para a minha mãe cuidar dele. Perdi meu quarto, minha rua para brincar e a vida no interior. Poucos meses depois minha mãe pediu que eu fosse ver se ele queria tomar água e ele já não estava mais entre nós.

Transferi meus afetos de neta ao meu tio-avô, irmão do meu avô. Mas 2  anos depois ele foi diagnosticado com Alzheimer e, como não tinha esposa nem filhos, pediu que minha mãe cuidasse dele. Ele foi um grande médico e professor da USP, fundador de cadeira e tudo, e sabia exatamente o que a vida lhe reservava. Comprou um apartamento para minha mãe no mesmo prédio que ele morava, pois sabia que ela precisaria estar “na mesma casa dele” quando a doença avançasse. Foram 10 anos cuidando dele e aprendendo a responder a mesma pergunta mil vezes sem esboçar qualquer sinal de repetição; vendo um adulto virar criança e desaprender, pouco a pouco, tudo o que aprendeu na vida, até ir embora de vez. Recordo-me que acordei assustada numa madrugada, fui ao quarto de mamãe e disse que eu achava que ele não ia passar daquele dia. Ela foi ao hospital e ele se foi.

Por volta de 5 anos mais tarde, minha mãe teve a recaída do câncer dela e foram 2,5 anos, novamente, vendo um ser humano voltar no tempo, perdendo todas as habilidades possíveis, esperando o dia em que partisse ao eterno. Noites e mais noites estudando em cama de hospital, até que, numa manhã, eu despertei de repente, às 6h, e senti que eu deveria ir correndo ao hospital. Chegando lá, os médicos estavam atordoados, porque não conseguiam mais mantê-la sedada; ela estava muito agitada. Entrei no quarto, ela me viu, tentou levantar e dizer algo, eu a abracei, ela respirou fundo e se foi. Eu tinha 22 anos.

A partir daí, foi a primeira vez que eu passei algum ano da minha vida sem ver alguém morrendo aos poucos ao meu lado. Então, fui processar tudo isso e também estudar sobre o assunto.

Vou dizer uma coisa, a mitologia tem uma função psicológica incrível e nos ajuda a passar pelas diversas fases da vida. Um melhor entendimento acerca disso pode ser encontrado na obra “Mito e transformação”, de Joseph Campbell.

Mas foi na Astrologia, estudando a simbologia de Escorpião (por sinal, meu ascendente) que eu fui entender tudo isso.

Agora, gostaria de compartilhar com vocês um pouco do que aprendi, porque, cedo ou tarde, quem vive vai se deparar com a morte e, ao longo da vida, passamos por diversas perdas que, psicologicamente, operam como pequenas mortes.

O símbolo de Escorpião é a Fênix que renasce das cinzas, num voo corajoso e firme às alturas. Mas, antes de poder voar, ela esteve nas cinzas (o famoso “fundo do poço”). O oitavo signo do Zodíaco simboliza a morte que, na verdade, corresponde à transmutação.

Não há morte no sentido de fim na natureza. Tudo se transforma. Quando você morre, seu corpo vira alimento a outros seres e sua alma alça algum voo que não nos é dado conhecer. Alimentamo-nos da morte quando comemos uma planta ou carne; quer gostemos ou não, a vida se alimenta da morte, porque a vida é cíclica e tudo se transforma o tempo todo. Para tanto, perde-se algo e ganha-se outra coisa no lugar.

Quando uma relação acaba, abre-se espaço para mudanças internas que nos conduzirão a outros relacionamentos possíveis, por exemplo. Quando alguém morre, abre-se espaço para aprendermos a lidar com os ciclos da vida de maneira saudável.

Escorpião simboliza a alquimia e o desapego, bem como o poder interior e a capacidade de regeneração. Afinal, é através da morte que aprendemos a transmutar nossos demônios internos, a sermos desapegados e a termos poder sobre nossas emoções. Porque se esse trabalho interno não for desenvolvido, a morte te levará às cinzas e a sua Fênix interna jamais vai alçar voo.

Portanto, foi por meio da Astrologia que eu compreendi a função daqueles episódios da minha infância. Foi com muito estudo (e terapia) que eu consegui fazer o processo de Escorpião e compreender um dos maiores mistérios da vida.

Dói muito perder quem se ama, mas, se você compreender que é isso que lhe conduzirá a um trabalho interno de transformação que lhe dará força para superar qualquer obstáculo na vida (porque aquele que não teme mais a morte consegue enfrentar qualquer demônio), sua dor não será convertida em sofrimento que, a longo prazo, vira doença, notadamente, depressão.

Escorpião é um signo do elemento Água e, portanto, ensina que lágrima cura. Diante da morte, chore. Chore muito, água é fluxo de emoção materializada e você vai precisar colocar isso para fora. Mas não se apegue à sua dor (lembra do desapego?). Saber que a morte não é um fim não irá lhe prevenir da dor da perda, mas vai evitar um sofrimento prolongado. Faz parte da vida, sabe? É isso que precisa ser compreendido.

Aceitar essa realidade significa não julgar se a morte é justa ou injusta, porque esse conceito não existe na natureza, apenas na mente humana. A justiça é simbolizada por Sagitário, que trata da mente humana superior que busca criar conceitos para regular a vida e extrair sentido dela, isto é, não é algo que pertence ao cosmos. Esqueça isso. Aceite e acolha a vida tal como ela é, com sua etapa final na morte. Não há vida sem morte e vice-versa, então, para amar a vida de verdade, você precisa aceitar a morte.

E isso só será possível mergulhando dentro de si e descortinando toda a sua raiva, indignação e qualquer sorte de sentimentos ruins que o evento tenha lhe trazido. O oitavo signo do Zodíaco nos remete ao oitavo trabalho de Hércules, onde o herói enfrenta a Hidra, um monstro de múltiplas cabeças que, quando uma é cortada, nascem mais três no lugar. Ele então se lembra dos conselhos de seu mestre, ajoelha-se e levanta a Hidra de baixo para cima, tirando-a a da caverna e levando à luz. A Hidra, então, morre e se transforma numa joia belíssima, que Hércules enterra.

O que esse mito quer mostrar, sob a ótica psicológica, é que a morte lhe permite trazer à luz seus demônios internos e transformá-los em força e capacidade de superação. É lidando com perdas de maneira construtiva que você se fortalece e adquire poder interior, compreendendo que o poder, também simbolizado por Escorpião, é interno e não externo. Você vai precisar cavar fundo no seu inconsciente e deixar morrer em si venenos emocionais que lhe impedem de cumprir o ciclo da vida que ainda pulsa em seu coração.

Aliás, Escorpião também simboliza raiva e violência; percebem o tamanho do pacote ligado à morte? Porque você vai sentir raiva e revolta em seu luto e isso faz parte do processo. Há uma lógica incrível na simbologia mitológica, que revela como nossa psique se comporta diante de certos acontecimentos.

Entender essa simbologia é o primeiro passo para conseguir conduzir sua alma de maneira saudável pelos áridos caminhos da vida, fazendo um jardim em cada deserto que se apresentar.

No próximo texto vou abordar a perspectiva científica do luto e da morte, extraída da obra da grande psicanalista Elizabeth Kubler Ross.

Este texto buscou trazer um pequeno novo olhar para algo extremamente democrático e duro: a morte e o luto. Espero que tenha conseguido fazer com que aqueles de vocês que estejam ou tenham passado por isso comecem a depositar uma visão sem rancor nem mágoas sobre essa parte de suas histórias, porque apenas assim vocês poderão honrar o resto de vida que lhes cabe.

É por quem já não pode mais desfrutar da vida que aqueles que ficam devem fazer dela a melhor jornada possível.

Por que nem todas as pessoas do mesmo signo ou com o mesmo mapa são iguais?

Snoopy

 

Muitas pessoas olham a Astrologia com desconfiança, sob o argumento de que nem todas as pessoas de um determinado signo são iguais ou, indo mais além, argumentam que nem todo mundo que nasceu em determinado dia, local e horário tem o mesmo destino.

Isso é verdade, as pessoas, independentemente de compartilharem o mesmo signo ou mapa astral, não têm a mesma personalidade nem o mesmo destino. Por quê?

O equívoco está na visão que se tem da Astrologia. Os astros não determinam quem você é nem os acontecimentos de sua vida. Eles indicam as formas de expressão possíveis na sua personalidade e a natureza das experiências de vida pelas quais você irá passar. Contudo, eles não revelam exatamente como você vai se desenvolver ou quais os acontecimentos específicos pelos quais você vai passar, salvo casos muito pontuais.

Por exemplo: o mesmo aspecto que indica habilidade para o sujeito se tornar um cirurgião também revela habilidade para ser açougueiro. As decisões do sujeito e as circustâncias de vida somadas irão conduzi-lo a um ou outro caminho.

Quando estudamos Astrologia não podemos fazer uma interpretação que desconsidere o livre arbítrio nem as influências externas em nossa vida. São justamente esses fatores que irão determinar como a personalidade revelada pelo mapa e o caminho de vida ali indicado irão se manifestar e desenvolver-se.

Toda e qualquer configuração de mapa pode ser expressada na vida do indivíduo de forma positiva ou negativa, tudo é dual e os caminhos possíveis que serão efetivamente traçados dependem de cada um e das circunstâncias ao redor.

O mapa astral nada mais é do que um manual de instruções sobre como utilizar seus potenciais e caminhos de vida da melhor maneira possível, aproveitando ao máximo cada oportunidade, as quais são reveladas pelas previsões. Mas é você quem decide e maneja a si mesmo.

Citando outro exemplo: uma Vênus muito bem aspectada indica sorte, facilidades, ganho financeiro e habilidade de relacionamentos. Por outro lado, também indica auto indulgência, preguiça, vaidade. Vai depender de cada um qual desses lados da personalidade irá prevalecer.

O ambiente ao redor e as pessoas com as quais convivemos contribuem para que esse ou aquele traço de nossa personalidade e destino ganhem mais força. Por isso, é de suma importância tomar muito cuidado com quem escolhemos para estar ao nosso lado nessa jornada e, igualmente, devemos observar como estamos contribuindo para a jornada do próximo.

Esse papo de que cada um é o único responsável pela própria felicidade e destino é parcialmente verdade e parcialmente mentira. De fato, somos responsáveis pelo que fazemos com o que a vida fez de nós, mas somos inconscientemente influenciados pelo contexto ao redor a todo momento (tanto é assim, que o marketing trabalha em cima desse nosso ponto cego). Há chefes, por exemplo, que impedem por completo o crescimento do funcionário e, num contexto de economia forte, esse funcionário pode procurar outro emprego; mas em uma situação de crise, essa saída nem sempre é possível, por exemplo.

Quanto às características dos signos, podemos citar como exemplo as seguintes personalidade de Escorpião ou com ascendente em Escorpião:

Signo de Escorpião Ascendente em Escorpião
·        Maria Antonieta;

·        Grace Kelly;

·        Martin Luther King;

·        Lula;

·        Príncipe Charles;

·        Madame Curie;

·        Picasso

·        Margaret Tatcher;

·        Napoleão Bonaparte;

·        Mussolini;

·        Christian Dior;

·        Sigmund Freud

Escorpião é o signo ligado ao poder e é fácil notar que as personalidades acima, de uma forma ou de outra, exerceram grande poder. Igualmente, é um signo extremista, de pessoas pouco toelrantes e cujas ideias são bem fortes e, de uma forma ou de outra, as personalidades acima têm essa marca. A sedução também está ligada a esse signo tano quanto a capacidade de perceber profundamente a natureza humana. Se o sujeito vai usar essa habilidade para criar uma moda atemporal, como Dior; uma arte provocadora, como Picasso; para encantar o público como Grace Kelly; para decifrar a psicanálise e trazê-la como ciência, como Freud ou para manipular sociedades como certos políticos ou para conduzi-las com mãos de ferro ou rumo à liberdade, bem, aí, vai do livre arbítrio de cada um.

O que é comum a essas pessoas é uma forte capacidade de se reinventarem e de terem poder sobre si e sobre os outros. Não necessariamente na proporção Napoleônica, mas repare nas pessoas que você conhece de Escorpião e me diga se esses traços não são comuns?

Ah, sim, talvez você conheça o pior tipo, aquele que definha com seus medos e mágoas e chega no fundo do poço. Bem, se ele/ela não se suicidar (isso é bem Escorpião), cedo ou tarde vai renascer, observe. Com eles é tudo ou nada: ou morrem com suas próprias perturbações ou renascem como a Fênix.

Escorpião foi apenas o exemplo utilizado, mas isso se dá com todos os signos. Portanto, nada de colocar a culpa nas estrelas, vamos assumir as rédeas de nossas vidas e utilizar os astros como guias que nos orientam para onde apontar nossas flechas e como utilizá-las da melhor forma.

 

Por Mia Vilela

 

Sobre força de vontade e superação

fenix

Quando falamos em força de vontade nos remetemos à simbologia do Escorpião e às boas características dos nativos desse signo, as quais apenas são manifestadas quando o indivíduo nascido sob o signo de Escorpião (ou sob forte influência desse) aprende a desenvolver suas potencialidades.

Em que pese ser um dos temas centrais de desenvolvimento daqueles que escolheram nascer sob o signo ou sob forte influência de Escorpião, a força de vontade é algo que todos podemos desenvolver. A diferença para os filhos de Escorpião é que, para eles, esse é um compromisso de vida assumido, uma missão a ser cumprida.

Pois bem, para entender a força de vontade devemos compreender a simbologia do Scorpio. Esse signo é simbolizado pela Fênix ascendente, uma águia que sai das cinzas rumo ao céu, em um voo esplendoroso. Mas vejam, ela saiu das cinzas. Portanto, força de vontade não é algo que pertence à situação de sucesso, mas algo que permite que o sucesso seja alcançado. A força de vontade tende a nascer nas cinzas, na dor, no sofrimento, permitindo a superação das situações difíceis e a transmutação do ser esmagado em águia.

Escorpião está conectado ao mundo da água, das emoções, do trabalho psicológico interno. Daí que a força de vontade não surge de fatores externos favoráveis, mas deve ser desenvolvida por dentro, justamente para nos capacitar internamente a enfrentar os desafios e injustiças do mundo externo.

Mas não é só. A força de vontade representada pela simbologia do Escorpião é o único e verdadeiro poder que existe. Scorpio simboliza a busca pelo poder e seu segredo é o fato de que o poder externo depende do único e real poder: o interno. Vencer no mundo externo depende do poder interno de superação, o qual, por sua vez, nasce do útero da força de vontade, já que é essa que permite a superação de si mesmo.

Observe as situações em que você se encontra fragilizado, injustiçado, acuado, triste, etc. De início, se você não se policiar, você vai ficando inerte, fraco, rabugento, invejoso, vai perdendo a capacidade de enfrentar o mundo e vai se afundando nos sentimentos de culpa, raiva, mágoa, entre outros. E, quanto mais você se afunda, menos você consegue sair da situação e mais você se sente oprimido. Consegue perceber que a raiz toda está na sua capacidade de se superar, isto é, de superar esses sentimentos internos limitadores e que lhe enfraquecem? Que apenas você mesmo está se impossibilitando de reagir?

E de onde vem essa capacidade de superação interna, que lhe trará reflexos externos? Ora, do desenvolvimento da força de vontade. É a partir dela que você poderá fazer como a Fênix e sair das cinzas alçando voo.

Não alimente sentimentos e crenças limitantes, lembre-se que a viabilidade da sua vitória nasce da sua capacidade de se empoderar interna e emocionalmente. Olhe-se no espelho e diga a si mesmo que você quer do fundo da sua alma se superar e vá alimentando pensamentos, palavras e atitudes dessa natureza, para que você desenvolva em si a real vontade de superar qualquer dificuldade, não importando o esforço que tenha que ser feito. Você é capaz. Onde há vontade, há um caminho (lema dos escorpiões)!

Não se deixe vencer pela dor muscular do exercício do primeiro dia; pelo cansaço ou medo de um trabalho mais desafiador; pela tristeza do fim de algo; pela dor de cabeça dos estudos, pense: em quero e vou conseguir e faça disso um mantra. Afinal, esse é o segredo do signo do poder e agora você também o conhece.

Escorpião e seus defeitos

horoscope-644864__180

Dando continuidade à série de artigos que trata dos signos e seus defeitos, passo a abordar Escorpião.

Todos os signos têm em si defeitos e qualidades e depende do livre arbítrio do indivíduo qual dessas formas de manifestação vai predominar e em que intensidade. O mais comum é que ao longo da vida, conforme as circunstâncias forem dando ensejo, o indivíduo se depare com versões suas até então não reveladas.

Dito isso, passo a tratar de um dos principais defeitos de Escorpião: o rancor.

Scorpio é rancoroso, guarda mágoa e, em muitos casos, nutre desejo de vingança (nem sempre o realiza, mas pensa no assunto).

Ocorre que esse traço prejudica muito mais o próprio escorpião do que a sua potencial ou efetiva vítima.

O rancor é como um carvão quente que guardamos em nosso corpo, vai queimando até provocar uma lesão (doença) que nos faça acordar. E você, escorpião, não quer, além de tudo, ficar doente por conta de alguém que você despreza, certo?

Então, raciocina comigo: a quem o perdão atende, a você ou ao outro? A você, claro. Quando perdoamos alguém, o fazemos em nosso benefício, isto é, por nós mesmos e não como uma libertação do outro (muitas vezes esse outro sequer se importa com o nosso perdão). Perdoamos para evitar toda a tristeza, agonia e até doença que o rancor nos traz.

Igualmente, é importante que você entenda que o objeto do perdão é a pessoa e não o ato lesivo que ela praticou. Perdoar não significa que você tolera a postura que lhe prejudicou, mas que você não guarda rancor contra a pessoa. Evidentemente, a postura é intolerável, mas a pessoa não é, necessariamente, nociva. Com efeito, se a pessoa demonstrar verdadeiro arrependimento e capacidade de não repetir aquela atitude, você pode até mesmo manter a relação ou contato de antes, por que não?

Pensando dessa forma, você pode encontrar caminhos dentro de si que o auxiliem a sair da prisão que é o rancor.

Até mesmo porque, quando você nutre ódio por alguém, ainda que a pessoa esteja a quilômetros de distância, estará não apenas presente em sua vida (o que você não deseja) como o dominará, pois você vira um escravo de seu rancor, na medida em que esse lhe consome a vitalidade e alegria. Isto é, você fica triste em razão da atitude do outro, mas do rancor que você insiste em nutrir dentro de si, levando esse outro a habitar a sua mente.

Assim, se a referida pessoa realmente tinha a intenção de lhe prejudicar, obteve enorme êxito e um êxito que durará tanto tempo quanto o seu rancor durar. Olha só que absurdo, que poder você está dando a essa pessoa e retirando de si!

Então, meu caro scorpio, vamos ascender à águia que você nasceu para ser, resolver os problemas no ato e voar cada vez mais alto e livre desses sentimentos que lhe prendem ao solo? Depende somente de você.

 

Afinal, quem são os Escorpiões?

escorpião

Nossa astróloga ficou muito tempo pensando por qual signo começaria a inauguração dos posts que descrevem cada um dos 12 signos. Decidiu começar por Escorpião. Primeiro, por ser o signo mais incompreendido (frequentemente as pessoas acham que Scorpio é o pior signo do Zodíaco). Em Segundo lugar, porque muitos dos amigos e amigas da nossa astróloga estão grávidos de futuros nativos de Escorpião. E em terceiro lugar, porque nossa astróloga tem um interesse pessoal na desmistificação desse signo, que também é o seu ascendente.

Sim, o post é longo e profundo, tal como são os escorpiões, nada neles é superficial.

Para quem leu o post sobre Plutão, informamos que esse Planeta profundo e misterioso é o regente de Escorpião, juntamente com Marte, o Deus da guerra. Por aí o leitor já faz uma ideia da intensidade de Scorpio. Aliás, a palavra chave desse signo seria intensidade.

Escorpião é um signo de água e, portanto, de natureza emotiva (pasmem!). Sua qualidade é fixa – na astrologia há 3 qualidades de signos, fixo, cardeal e mutável. E, água fixa = iceberg.

Sim, o Escorpião é como um iceberg: 90% de sua verdadeira natureza está submersa e apenas 10% é visível – e isso é intencional. Sabendo-se extremamente sensíveis, esses nativos se protegem escondendo-se e demonstrando uma falsa natureza fria. Mas não se iluda, não há nada de frio no Escorpião, suas águas, na verdade, fervem.

Temos aqui um signo de extremos, ou ama ou odeia, e cujo senso de justiça é como o de Talião “olho por olho, dente por dente”. Não significa que todos sejam vingativos, mas procure discutir questões de justiça com um escorpião e você verá que, mesmo lutando para ser diferente, em algum momento ele revelará seu senso severo de justiça. Sim, eles são severos, exigentes e verdadeiros scanners das reais intenções e emoções dos outros, quase nada lhes passa desapercebido.

Tal como o iceberg, sua aparência é calma, quase serena e quem não conhece um escorpião a fundo vai achar que você está mentindo quando contar um de seus acessos de fúria. Eles os tem de vez em quando. Só perdem em intensidade nesses acessos para o seu signo oposto, Touro; mas o taurino deve ter uns 3 ou 4 dias de fúria ao longo da vida toda, com Escorpião a coisa é mais frequente (mas longe de ser rotineiro como ocorre com os leoninos e arianos). Outra característica deles é que ninguém á capaz de maior lealdade do que um bom Escorpião.

O lema do Escorpião é “se há vontade, há um caminho” e não há signo com maior capacidade de encontrar caminhos quando todos já desistiram, nem mesmo o Capricórnio. A força de vontade do Escorpião, quando bem trabalhada, é imbatível.

Estamos aqui no domínio da força, interior e exterior. Quando o Escorpião não domina bem a sua natureza, torna-se violento e agressivo, seja verbalmente ou fisicamente (todos eles guardam uma força violenta dentro de si e, mesmo que saibam controlá-la, ela existe). Quem convive com eles sabe o poder cortante de suas palavras que jamais são ditas em vão: eles sabem o que dizem e o impacto disso.

Por outro lado, positivamente canalizada, essa força torna-se a força de vontade descrita acima, a capacidade de transformar pó em outro, dor em crescimento, raiva em superação. Enfim, Scorpio simboliza a alquimia.

E, mais do que a alquimia, estamos aqui, no reino da morte. Mas, a verdade é que não há morte no universo, mas, sim, transmutação. Essa é a chave para o sucesso do Escorpião: aprender que a morte não existe. Quando compreendem isso, sua força é canalizada para o interior e nada, jamais, os derrubará. A partir daí suas defesas tronam-se desnecessárias e a vida fica mais leve.

Escorpião tem a capacidade de compreender ao longo da vida que não há vida sem morte e vice-versa. E, ao entender que tudo se trata de transformação, a tão famosa característica de destemidos do Escorpião aflora. Antes, eles podem ser dominados por um terrível e muito bem escondido medo da derrota, da morte, da perda de poder.

Scorpio deseja poder e deseja exercer poder sobre os outros, daí a sua fama de manipuladores. Tudo isso vem de seu medo de ser dominado, extinto (um escorpião – bicho – acuado pica a si mesmo e se suicida, pois tudo é melhor do que ser destruído pelos outros). Ao trabalhar essa compreensão da morte/vida e se tornar o verdadeiro alquimista, Escorpião aprende e ensina que o único poder existente de fato é o poder que temos sobre nós mesmos. Todas as outras formas de poder são castelos de cartas, fruto da ilusão da mente e podem ser extintos a qualquer tempo.

E, por estarmos no domínio da morte, da força, da alquimia, estamos, também, no domínio do sexo, que é a energia vital da vida. Escorpião simboliza o sexo, a fonte da vida, a energia criativa que, se reprimida, gera violência letal, isto é, a morte (leia os jornais e você passará a entender porque de tanta violência no mundo: energia vital reprimida).

Por sua vez, a fonte da vida demanda nudez e vulnerabilidade, sem isso, não há sexo, há, ao contrario, violência sexual – precisamos urgentemente do simbolismo de Escorpião para quebrar o tabu do sexo.

Scorpio aprende e ensina que, na vida, estamos todos nus e vulneráveis e é por meio dessa aceitação que vem a nossa verdadeira força e poder, todo o resto é negação dessa natureza, ilusão, que gera violência.

Nudez e vulnerabilidade não significam fraqueza, são entrega à vida, o que gera novas vidas; somente assim podemos colher da vida o que ela tem a nos oferecer. Proteger-se disso é evitar a própria vida, desperdiçá-la.

O tão famoso mistério desse signo é aprender que é justamente por meio da abdicação da necessidade de controlar tudo e todos e de se proteger da vida que vem o real controle de tudo, isto é, o único poder de fato existente – o poder sobre nós mesmos. É estar aberto ao que o mundo tem a nos oferecer tal como no sexo.

É com força interior para aproveitar, superar, transpor o que for necessário que podemos viver ao máximo. O resto, é privar-se sob a máscara do controle que, repetimos, não existe. Há, apenas, o auto-controle.

Essa lição de Scorpio é encontrada não apenas na Astrologia, mas também na mitologia grega. Quando Hércules é incumbido de matar a Hidra (monstro com 9 cabeças) ele somente consegue cumprir sua missão quando deixa de tentar esmagar as cabeças da Hidra e compreende os conselhos recebidos de seu mentor, que assim o advertiu: “é ajoelhando-se que nos levantamos; é nos rendendo que conquistamos; é desistindo de algo que os ganhamos”(recorde-se que, cada cabeça que Hércules matava gerava 3 novas outras em seu lugar). Hercules, então, se ajoelha, e levanta a Hidra, tirando-a de sua caverna escondida e escura e trazendo-a à luz. Pronto, ao trazer esse monstro do inconsciente para o consciente, ele o mata.

Temos aqui também uma linguagem simbólica, onde a Hidra representa os medos e a agressividade que habitam Scorpio e, verdade seja dita, todos nós. É ajoelhando-se, indo a fundo em si mesmo, que Scorpio mata os seus demônios e se transforma da vitima do mundo, rancorosa e vingativa, para a Fênix que ascende das cinzas, forte como ninguém, indestrutível.

Tal como a mitologia, a Astrologia trabalha com linguagem simbólica e o seu estudo nos ensina muito sobre a vida. Não é porque você não é de Escorpião ou não tem Scorpio como signo ascendente que não pode aprender com o seu simbolismo, que não tem a sua Hidra interna para matar e transformar em algo produtivo. Todos temos a aprender com todos os signos. A diferença de nós para eles (escorpiões) é que eles nasceram para compreender isso. Scorpio frequentemente gera psiquiatras e psicólogos, também gera grandes executivos e políticos, bem como cirurgiões.

Importante lembrar que, no geral, os nativos de Escorpião têm desenvolvidos dentro de si elementos bons e ruins de seu signo. Dificilmente você encontrará um exemplo que congrega apenas o lado bom desse signo ou apena o ruim. O signo solar representa o mito do herói que é um eterno tornar-se, isto é, quem é de Escorpião está se tornando Scorpio a cada dia e, portanto, ora apresentará seu lado de luz, ora o seu lado de sombra.

Um exemplo claro disso é o Lula. É admirável a sua ascensão ao poder, vindo do nada, sem estudo ou formação alguma. Um claro exemplo da força de vontade dos escorpiões. Por outro lado, sua sombra está começando a vir à tona, já que há indícios de que ele tenha feito os jogos de poder impostos pelo Congresso Nacional de maneira bastante natural, destemida e sem ressentimento algum (sejamos mais librianos aqui, não vamos julgar antes da Justiça). Escorpiões jogam como ninguém esse jogo onde os fins justificam os meios.

Outro exemplo claro de quem são os Escorpiões é uma moça que estava sendo acusada pelo chefe aos berros de ter cometido um erro que ela não cometeu. Ela chorou na frente do chefe do chefe que presenciou o espetáculo. Preocupado, esse último lhe perguntou se ela estava bem, se estava magoada e recebeu a resposta de que aquelas eram lágrimas de ódio, necessárias para evitar um confronto violento. Prefiro nem imaginar as verdades doídas que ela teria dito se não tivesse transformado suas palavras maquiavélicas em água. E que ninguém se iluda, Scorpio não dá ponto sem nó nem poupa ninguém por medo ou compaixão, provavelmente era interessante a ela não confrontar naquele momento. Se o seu funcionário ou chefe de escorpião demonstrar claramente o seu descontentamento e for mais intenso, recue, a partir daí é zona de perigo. Ah, o chefe do chefe que foi o único calmo da situação é Touro (signo oposto a Escorpião). Scorpio precisa aprender com touro a controlar seus instintos. Até mesmo porque o que Scorpio não pões para fora, o envenena por dentro e o faz adoecer.

Um outro exemplo de como eles funcionam e são tremendamente astutos é uma executiva que foi obrigada a pedir desculpas a uma funcionária por ter dito que, se ela fosse o cliente e recebesse aquele trabalho, mandaria a sujeita para aquele lugar. Ao pedir desculpa, ela assim se pronunciou: eu não quis te mandar para aquele lugar, apesar de que o que eu disse pode ser interpretado dessa forma. Eu não diria que ela se desculpou de verdade, mas também não dá pra dizer que não o fez, entenderam? Sim, eles são estrategistas natos.

Conheça um Escorpião na intimidade e você verá um ser aquoso, afetuoso, cheio de amor e paixão. Mas se ele sabe amar intensamente, também sabe muito bem expressar a sombra desse amor, o ódio.

Ensine a ele que rancor é um carvão em brasa que o queima, mas nada faz com o inimigo e que perdão é algo que fazemos por nós mesmos e não pelos outros que ele será puro amor e leve.

Mas, por prudência, não o encurrale, seus ataques são definitivos e, se ele não tiver saída, irá para a briga e o perdedor será você (aqui somente o Touro pode enfrentar). Duvida? Nossa astróloga é Leão, com Escorpião ascendente. Por que será que somente outro Leão com ascendente em Touro conseguiu domar a fera?

Este mês, a partir do dia 24, o Sol entra em Escorpião. Se o seu filho nascer entre esse dia e o dia 22 de novembro, prepare-se para um rebento que absorve as suas emoções como uma esponja e que reterá as emoções do ambiente; procure brigar longe dele, ou o pequeno reterá essa imagem em si mesmo. Ensine-lhe sobre perdão e força interior, mostre a ele que a força que ele tem pode ser destrutiva ou construtiva e que isso depende somente dele e você terá uma sábia criança que lhe ensinará muito mais do que aprendeu. Seja calam(o) com o seu filho de escorpião, não o confronte em seus momentos de rara expressão aberta de sua ira, guie-o pelo amor e mostre a ele que ele está se envenenando e quais as consequências disso e que o resultado final será responsabilidade exclusiva dele e você verá um mini ser capaz de ir pelo caminho certo como ninguém.

Por fim, outros fatores do mapa podem amenizar ou intensificar algumas das características descritas acima. Exemplo: um escorpião com ascendente em gêmeos pode ser bem mais aberto e comunicativo do que a média dos escorpiões, além de racional (aqui o turbilhão de emoções do Escorpião é mais facilmente domado pela mente geminiana). Já um escorpião com ascendente em Sagitário pode parecer mais expansivo, mas será mais recluso do que a média dos escorpiões, porque seu sol estará, possivelmente, na misteriosa casa 12.